24 de jun de 2010

CONTINENTE DE PALAVRAS



arte/Maysa Brito

DESAFOGO O OLHAR ENCHARCADA DE OCEANOS.
SE NÃO SÃO TRAIÇOEIRAS AS CORRENTEZAS,
O QUE EU FAÇO MEU DEUS, PRA REAPRENDER A NADAR,
SE TUDO ME DOI DESDE QUANDO.
SE CADA BRAÇADA VEM NO ESTIO DO CANSAÇO
DE TODO O AMOR QUE ACREDITEI ESTAR PORVIR E NÃO VEM.
O QUE É QUE EU FAÇO COM TANTA SECURA BORRADA EM LÁGRIMAS
E O PEITO ESTUFANDO DENTRO ANSIOSO EM TOCAR NOVOS ACORDES
ACORDA MELODIAS DE UM JAZZ DESAFINADO PELOS ANOS.
TANTO QUERER SUFOCADO ENCLAUSURADO ESTRANGULADO DE QUANDO EM SEMPRE
E NINGUEM PRA DESCOBRIR.
TANTA TRISTEZA LEGITIMADA SOBRE COISAS E UM DESEJO DO SEM FIM.

25 de fev de 2010

PSICOSE

Psicossomática, psico-neurastênica, psico-informatizada,chamando úrubu de meu loiro,
me rasgando de medo por dentro. É assim que eu estou vivendo há meses com esse tal de opera, não espera, opera, não espera....agora chega.Quem não aguenta mais sou eu. Vou operar minha perna esquerda. Há um ano que sinto dores horríveis para anadar, sentar, sair,enfim....CADÊ O MEU PRAZER? Então a hora é esssa. Seja com com uns quilinhos a mais ( não querem me vender?) e muitos a menos, mas eu vou ver esse filme outra vez. SUPERAÇÃO É A PALAVRA DE ORDEM EM VIVER A VIDA! Porra e eu que vivo me superando há quase 20 anos vinte anos! Não vou deixar que nenhuma novela da Globo,supere a minha. Por todos os méritos e discussões que precisam ser revistas e ótimo que esteja sendo levada a sério pelo Maneco e toda sua equipe de atores, a minha vida é feita de SUPERAÇÕES! ESTA É APENAS MAIS UMA. Mas me conheço um pouquinho e começo ( isso não é de agora, só ficou pior)a me sentir uma ostra. Veem as paranóias e com elas todas os "psi" que a mente humana é capaz de alcançar Não quero e não vou incomodar ninguém. Só peço que fiquem na torcida meus amigos, façam uma corrente positiva no dia 9 de março e se puderem me ligar, eu vou ficar babando.... , se eu não puder atender, o carinho e a sua preocupação em me ligar, JÁ FOI TUDO!

BEIJOS POÉTICOS (ainda faço) e o meu mais saudoso até breve.

3 de jan de 2010

SOBRE O RESTO DAS COISAS




SOU FEITA DO QUE ME RESTA.
MEUS OSSOS E CORPO FALAM POR MIM.
OLHO PRO TEMPO E ISSO ME ASSUSTA E SUSTENTA.
TODO POEMA É UMA TENTATIVA DE ACALENTAR ESSA DOR.
SE ESCREVO ASSIM É PORQUE ME FAÇO LEVE.
JORRO PRO MUNDO O QUE NÃO CABE EM MIM.