27 de fev de 2009

PARA O ANO COMEÇAR BEM...BAMGALÔ TRÊS VEZES....



A noite deságua o amor
dos sonhos telúricos deste homem
que adormece ao meu lado
e que habita minha alma exilada e refugiada
sobre seus encantos.
Sou açoitada pelos teus desejos,
embalada pelos teus beijos
na noite que me faz sereia.
E lá, no fundo do mar desses lençóis,
somos muito mais doque doces momentos...
seremos sempre eternos encontros.

25 de fev de 2009

EU MEDITEI NO CARNAVAL DO RIO



Nunca fui muito "dada" à Carnaval. A folia de Momo nunca me pegou pelos peitos ou pelos pés. Mas não sou nenhuma chata que prefere se trancar em casa, ao invés de encontrar os amigos rua à fora. Gosto sim, de um papo no bar, participar de alguns blocos ou mesmo sambar quando os pés começarem a coçar. Mas passei os quatro dias de carnaval assistindo à programação via satélite.

No início por uma opção mais que legítima, uma vez que meus filhos viajaram, e eu simplesmente me dei ao luxo de ficar no Rio. Pensei em descansar do trabalho que a rotina nos impõe e relaxar, porquê ninguém é de ferro. Não deu.

Toda vez que pensava em botar o bloco na rua , era aquela loucura, " um corre-corre", "um puxa e vai", "um tira essa mão bôba daí, meu velho" ...Não, assim, não há animação que resista. A minha então que já não é grande, ficou menor ainda...

O Leblon, bairro onde moro há anos e que por tradição ou estratégia, sempre ficou mais à margem da folia, a não ser em dois ou três pontos mais conhecidos, este ano enlouqueceu. Havia banda em cada metro quadrado. Carro nem pensar, vaga mesmo só no depósito do Detran. Desistí.

Peguei então vários livros que olhavam pra mim há dias, posicionei o telefone, o controle remoto da tv, liguei o computador e assisti o carnaval passar pela janela. Não sei se isso é a tal crise da idade, mas em 2010 vou pra serra. Vou dois dias antes e volto um dia depois. Só espero que as estradas e o meu carro estejam em perfeitas condições. Senão, vai ser outra roubada!

Namastê!

16 de fev de 2009

REGRESSO


foto/Luciana Dau

Há na vida, algo maior que não se decompõe com o tempo,
e transpõe a matéria.
Há, no amor , um acontecimento sublime que ultrapassa o encontro.
Há, no sonho, um fio de realidade que vai além de uma canção
e seu destino.
Há, no homem, a idade plena da esperança,
o gozo supremo de amadurecer como frutos de uma existência.
Haverá sempre o eterno juízo, o eterno retorno ao espírito
e ao que ele significa.

9 de fev de 2009

FORMAS


FOTO/LUCIANA DAU

tento descrever os instantes que me perseguem,
a vida que me basta,
mas as letras me faltam.
O que sobra é a incerteza,
que me cala.

3 de fev de 2009

ENGOLIR


foto by Julio Pereira

Sei que engulo sentimentos e palavras.
Travo, mergulho, emboto...
Esqueço de distrair o tempo, tão vento, tão nuvem.
Me agarro aos fatos, aos cigarros, às coisas que não sei,
às que não são e às que nunca terão sentido
Engolir sentimento e palavras, é uma forma educada de não cuspir,
um jeito discreto de fazer as pedras rolarem,
mesmo que não façam tanto barulho.
Mesmo que sejam tolas...