31 de jan de 2009

É...



Tem dias de sim. Dias de não. Dias apenas.Apenas pianos invisíveis no ar.

27 de jan de 2009

VOLTA E MEIA



Minha vida anda dando voltas, ontem caminhei sem olhar. Ando meia cheia de todos, meio vazia de tudo, meio louca da vida. Dersarvoro, desatino, perambulo pelas ruas e me distraio em qualquer esquina. Preciso de senso enquanto acalmo os nervos. Meus erros não são de criação, é total tensão. Mas um dia ainda me conserto, me endireito, tentando fazer um festim perfeito. Um dia ainda vou ser dona de mim e vou achar graça dessa danada que ronda a minha cabeça com algumas certezas e infinitas desculpas....

24 de jan de 2009

UM OLHAR CANGAÇO


arte/Bispo do Rosário

Sábado passado foi um daqueles dias memoráveis....Sabe quando vc não espera encontrar tanto poeta de respeito numa mesa de bar? Pois foi assim,uma amiga combinou o encontro e chamou as pessoas, poucas mas, de peso. Achamos que seria melhor desse jeito, quatro ou seis no máximo, para que a gente pudese se conhecer. Deu tudo certo, além de trocarmos livros e experiências, trocamos afetos...E entre os poetas estava o veterano Moacy Cirne, criador do poema/processo, e seu blog, "Balaio Porreta".A surpresa ficou por conta de dois poemas meus publicados esta semana no blog do Moacy. Foi uma delicadeza rara e especial de um dos maiores poetas deste país. Agora é a minha vez de retribuir e ficou difícil no meio de tanta coisa boa. Espero que eu tenha feito uma homenagem à sua altura Moacy. Beijos pra vc!

Um Olhar cangaço

de Moacy Cirne

um certo cansaço
um lambelambe sem memória
um velho cinema pax
um cão sem plumas
um potengi ao crepusculecer
um maraca maracanã
um poema sem poesia
um xerenhenhenhé de mulher
um quase tudo nenhum
e
50
sonhos adormenguecidos

22 de jan de 2009

CHÃO DE NUVENS


arte/paul Klee

Há muito minha mãe deixou de contar estrelas...

Enquanto me mostrava "As três Marias" no céu,

procurava a mais brilhante e fazia comigo um pedido.

Hoje, ela continua a ver estrelas...mas não às conta mais.

O cansaço já a quer quietinha em seu silêncio de côres.

Peço a Deus que perfume seu jardim de jasmim,

para que nós possamos ter colado ao coração,

lindas e perfeitas imagens de criança,

enquanto os dias forem assim...

um chão de nuvens sem fim...

20 de jan de 2009

FLORADA /in Pianos Invisíveis/


foto/ Karina Sokolova

Tudo em meu corpo adoece.
Tudo em meu corpo adoece quando choro.
Tudo em meu corpo chora.
Choro em todos os meus cantos.
Choram cantos e todos
choram todos os cantos.
Meus cantos são todos os cantos que choram.
Tenho muitos cantos
e eles choram.
Me alargo em tudo
e tudo me alaga.
Me alaga o rio quando choro.
O rio me alaga e me alarga.
Chora um rio em mim.
Um rio é um canto meu que chora
Meu avesso é um canto meu que floresce.
Meu aveso é um canto meu que chora e floresce.

Quero florescer como choro que brota
e como rio que alaga quando me deito.

18 de jan de 2009

SOBRE O RESTO DAS COISAS....


foto/ Oleg Novopilov

Sou feita do que me resta.
Meus ossos e corpo falam por mim.
Olho pro tempo e é isso que me sustenta e assusta.
Todo poema é uma tentativa de acalantar essa dor.
E se escrevo é porque me faço leve.
Enquanto jorro pro mundo,
o que não cabe mais em mim.

La Fiorentina


Imagem/ Joseph Cornell

"O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis"
Fernando Pessoa

16 de jan de 2009

O VERSO



Tristezas devem ser deixadas no papel.
Não voam.
Basta que não se escreva palavra mal dita.
Enquanto elas ficam adormecidas em letras,
torna-se possível recomeçar.

13 de jan de 2009

POEMA ADRIANA


FOTO/GOOGLE
Em meio as festividades Natalinas regadas a cervejas, como não poderia deixar de ser, em se tratando dos "Ratos Diversos", eis que recebo de um amigo e poeta queridíssimo, um poema mais que oculto, quase de última hora. Mas o presente de fim de Ano não podia ser melhor! Que venha 2009 e "sobrem apenas beijos pra nos restaurar" Um Céu de beijos e abraços apertados pra vc Pedro!
PEDRO LAGE

"Um poema de ultima hora
Um poeta sempre é preciso
Mesmo vago-simpático, solto
no escarcéu do mundo-caos, de improviso
ou rugindo por dentro da Aurora
São últimas todas as horas
e o poeta de sobreaviso se encarrega do melhor
Ser o ordenador deste samba no escuro.

Passam vergéis de núpcias sagradas
Passam hip-hops do brejo
Os olhos se abrem ao cortejo
Passa um bonde voador puxando um piano
que ninguém vê, cheio de teclas mais sensíveis
que seus olhos de aldeia. Por um triz a lua é cheia
E o melodrama não existe, nem o fado
Mas o dia ali demanda a cor de teus olhos tristes
Minha longilínea mana,
E tudo o que sou a teu lado é feliz!
Mesmo que juntos a gente coma
as ruelas dos sonhos e desmonte os desejos
até que sobrem apenas os beijos
pra nos restaurar.

by
Pedro Lage

12 de jan de 2009

ME FALTA


Retraro de Fernando Pessoa tela/ Almada Negreiros

Hoje não irei.
É dia de interiores fechados.
Dia de chuva é dia de não ir.
Mas de chorar.
Talvez amanhã eu empilhe sonhos
e fique encantada.

10 de jan de 2009

JANEIRO



Gente, estou de férias.... quer dizer, meu filho de 10 anos está de férias. Por isto a ausência....contíiiinua! Mas entre um milk-shake e um sol escaldante, eu tento atualizar o blog. Beijos mil!

3 de jan de 2009


tela/ Cornell Squirrel
Minhas palavras são lágrimas que ainda não chorei.