3 de fev de 2009

ENGOLIR


foto by Julio Pereira

Sei que engulo sentimentos e palavras.
Travo, mergulho, emboto...
Esqueço de distrair o tempo, tão vento, tão nuvem.
Me agarro aos fatos, aos cigarros, às coisas que não sei,
às que não são e às que nunca terão sentido
Engolir sentimento e palavras, é uma forma educada de não cuspir,
um jeito discreto de fazer as pedras rolarem,
mesmo que não façam tanto barulho.
Mesmo que sejam tolas...

8 comentários:

Leonor Cordeiro disse...

Querida Adriana, gostei dos seus versos e da forma como usa as palavras.
Coloquei o seu link no meu blog para não me esquecer de sempre passar por aqui.
Grande abraço!

Moacy Cirne disse...

Em você, o tempo: tão vento, tão nuvem, tão poesia.

Um beijo.

Hercília Fernandes disse...

Livre, leve e fluído!

Gostei muito, muito mesmo, Adriana, dessa boa deglutição de poesia.

Belo!

Abraços,
H.F.

Cosmunicando disse...

engolir os sentimentos e digeri-los em poesia, seu talento!
beijos

Moacy Cirne disse...

Oi, Adriana, tem um poema seu no Balaio.

Beijos.

Anônimo disse...

Adriana vc como sempre com poesias tão lindas !
Sou nova no meu Blog estou aprendendo.
Um grande beijo
Renatta Maria

adriana monteiro de barros disse...

meus queridos,

muito, mas muito obrigada pelos elogios.

um beijo no coração de vcs!

adriana

Daiza disse...

Poema foda.