12 de mar de 2009

REFLUXO



Não aprendi a me conter.
Ainda vazo. Infiltro.
Ainda derramo.
Deságuam em mim correntezas.
Mar aberto. Rios sem margens.
Viver é ato contínuo.
Ato reflexo e contínuo.
Forma de eternizar o presente.
E há muitas formas.
Todas elas me cabem.
Todas elas existem.
Umas desfolham. Outras me vestem.
Umas, outono. Outras, inverno.
Certas estações me vertem sendo água.
Certas pessoas me tranaspiram sendo quentes.
Acho que meu fluxo brota em letras.
Depois de escrever, eu jorro pro mundo.

by mylself

Nenhum comentário: