27 de jul de 2009

SOLIDÃO NA METRÓPOLE


Foto Marylin Monroe

Rasgo a cara na manhã cinzenta desta cidade.
Me dirijo a qualquer lugar.
Não olho os sinais.
Não olho pra trás.
Automaticamente, sigo em frente.
Não paro.
Não ouço.
Finjo,
Não sinto.
Deslogo e ligo o I-Pod.
Antena transmissora de mim.
Não canto. Não penso.
Ouço apenas o barulho do meu silêncio.

Um comentário:

Pedro Rodrigues disse...

É sem dúvida um dia tão cinzento como outro qualquer passado na grande metrópole. Pode sempre fazer um sol bem agradável e brilhante mas a indiferença em que nos tornamos no meio da multidão é sempre uma voz de desabafo que rompe o silêncio que há em nós mesmos. Gostei ;)