2 de jul de 2009

ESTILHAÇOS DE NUVENS

O amor é uma concha.
Aos poucos e cruelmente
suas arestas tornam a pele estéril.
Não há parto que o faça em pedaços
nem tempo de espera que o faça leve.
O amor não conhece o fundo dos rios.
Não importa,se o vento soprou os pingos de chuva
para debaixo das nuvens.
Eles simplesmente se quebraram no ar.
Do amor não beberei mais.
Há arsênico em seus pequenos frascos.
A morte é anunciada em borrifadas de perfume e mel,
como minha loucura.

3 comentários:

J.R disse...

o será que É..esse tal AMOR?

Acho que ninguém nunca saberá.

Tiago Tobias disse...

"Do amor não beberei mais.
Há arsênico em seus pequenos frascos.
A morte é anunciada em borrifadas de perfume
e mel, como minha loucura".

Corrosivo e encantador.

Andreia disse...

Que bonito. Embora retratado de uma maneira triste, bem bonita! *