23 de nov de 2009

NEON

para Tavinho Paes pelo poeta e músico que é.

Não quero mais o amor dos fins de noite de um Baixo qualquer,
paixões transcedentais desse lixo emocional,
habitantes sem paralelos, em paralelas,
gente em transe, gente dormente, num papo sem calma, num papo demente.
Não, não quero mais o amor dos fins de noite de um Baixo qualquer.
Vou deixar que os dias me levem pro vão da vida
que eu levo de qualquer jeito cheia de nãos.
Me desfaço em pedaços, me traduzo literalmente em cacos.
Quem sabe da minha obsessão sou eu.
A cidade me dá claustrofobia
me engole e eu a vomito.
Não suporto o caminho dito e não feito,
a vida cotidiana e iráscivel.
por isto, no início, mato o desejo
e no fim, mato a personagem em mim.

2 comentários:

luliX pandaglia disse...

Adriana querida,
Eu tb "Não quero mais o amor dos fins de noite de um Baixo qualquer,..." Como me identifico com vc!!!
Saudades...
Bjs,

Marcelo Novaes disse...

Adriana,


Essa coisa tão rente ao chão que se parece com voo, às vezes, mas não é.


Momento de lucidez.






Beijo.