8 de dez de 2008

ANJOS TÊM ASAS QUEBRADAS


FOTO LUCIANA DAU

Meia-noite e os gatos miam ininterruptamente.
Meia-noite e eu desperta,
som ligado,
livro aberto,
tudo sempre incerto.
Meia-noite eu cheia.
Noite e meia e eu aqui.
Eu minguante.

5 comentários:

Pavitra disse...


adriana,

minguante ou cheia
a sua poesia é sempre nova!

adoro!

Cosmunicando disse...

muito bom... mesmo!

Thiago Quintella disse...

De minguante, logo logo crescente

luliX pandaglia disse...

Vc é sempre inspirada!
Obrigada por usar minha foto.
Sua poesia me encanta!
Bjs,
luliX

Aroeira disse...

tua sensibilidade é crescente.