26 de dez de 2008

INCERTEZAS


ARTE/ MÁRIO CRAVO

Sigo indefinida.
Silenciosa, desfilo versos
na cadência das manhãs.
Por vezes enlouquecida,
preciso despir-me de pensamento
e fazer voar desejos em volta de mim.

2 comentários:

Honestino Afonso Xavier disse...

parabéns pelo blogger..

quando der visite o meu

deixe recados..

abraços

Pavitra disse...


às vezes essas indefinições
nos levam justamente ao lugar
certo... :)

vc é uma das minhas poetas queridas!

vamos ser pareceirinhas heim, não esquece... volto no dia 4, te ligo.

beijos e feliz 2009!