14 de set de 2008

VÔO CEGO

arte/maysa britto

A cidade é um grito que despenca, ensurdecedor,
até que o vôo entre os humanos seja pura acrobacia
ou o salto entre os mortais, simples aerodinâmica.
Eu ainda sou pássaro à procura de ninho.
Nenhuma mudança me basta,
nenhuma rachadura parte as asas.
Sem memória, esquecemos os dias.
Resta o tempo que esgarça.
Ainda que nasça para alguns,
a mim, só passa...Passa...
A razão de ser está no vôo.

5 comentários:

MaysaBritto disse...

Dri, que lindo poema! Obrigada pela emoção. bjs

julio de castro disse...

moça, que poema legal.

FINA FLOR disse...

querida, não sabia que estava com esse espaço chamoso :o)

parabéns! e sorte por aqui!

e siiiiiiiiiim, a razão está no vôo

beijocas

MM.

Adriana Monteiro de Barros disse...

Queridos e Raros,

sempre, sempre, sempre muito obrigada!
bjos
adriana

Pavitra disse...


"Eu ainda sou pássaro à procura de ninho.Nenhuma mudança me basta,nenhuma rachadura parte as asas."

lindo, adriana!
não só essa parte que selecionei, mas tudo...
lembrei o que a olga savary escreveu: "pássaro, metáfora de poeta" - vc é pássaro!

beijos